Sem categoria

22
mar/20

Considerando atual cenário relacionado ao Coronavírus – COVID 19 , suspenderemos nossos atendimentos do dia 23/03/20 a 05/04/20, em respeito à população e zelo aos nossos pacientes, amigos e familiares. Neste momento , precisamos fazer nossa parte e evitar a disseminação deste vírus.

Esperamos retornar em breve, mas orientamos que o período de  suspensão dos atendimentos poderá se extender , a depender da evolução da epidemia e decretos das autoridades competentes.

Para qualquer dúvida, entre em contato pelo número : (45)99922-0990.

08
mai/17

O mês de Maio é o mês de combate ao MELANOMA. Você sabe o que é MELANOMA? É um câncer de pele agressivo que pode espalhar-se pelo corpo e levar a óbito. Felizmente pode ser curado quando diagnosticado precocemente.

Como reconhecer um Melanoma?

Regra do ABCDE

Assimetria: as metades não são iguais.
Bordas: irregulares e de final abrupto.
Cor: presença de mais de 1 cor.
Diâmetro: maior que 6 mm.
Evolução: mudança ou crescimento recente

melanoma

fonte: Dermatologia e Saúde.

12
mai/16

maquillaje-efecto-frio-para-el-inviernoCom a chegada do frio , a pele tende a ressecar mais devido o clima seco , e costume de tomar banhos mais quentes e uso de aquecedores.

Por isso , neste estação , o cuidado com hidratação  deve ser redobrado.

No corpo , o hidratante deve ser aplicado diariamente , de preferência após o banho , quando a pele está mais apta para absorção do produto. Vários componentes com maior potência de hidratação podem ser usados , como : óleo de amêndoas , óleo de semente de uva , rosa mosqueta , uréia , lactato de amônio , etc .

Dependendo no nível de ressecamento da pele , vale trocar o sabonete para um que tenha o ph mais neutro ou específico para pele ressecada , por exemplo , sabonete infantis.

Para o rosto , é de costume investir em hidratantes que agregam outras funções , como fatores anti-idade , anti-oxidantes , filtro solar , base .

Mesmo as peles oleosas podem precisar de hidratação nesta época do ano. Peles oleosas , com maior componente de óleo , podem estar desidratadas , com menor componente de água. Neste caso , indicamos produtos mais sequinhos , com efeito matte , ou controle de oleosidade;

Orientamos também evitar banhos muito quentes e demorados , assim com o uso de buchas , que tendem a retirar a proteção natural da pele , e manter a hidratação de dentro para fora , com ingestão de pelo menos 2 litros de água por dia .

11
fev/16

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) orienta como se proteger do Aedes Aegypti, o mosquito transmissor dessas doenças. Qual é o repelente ideal, seguro e como deve ser usado?

 

Aedes-aegypti

 

Atenção: crianças até 6 meses de idade não podem usar repelentes!

 

– Repelentes para crianças entre 6 meses e 2 anos de idade

Repelentes que contenham na sua fórmula a seguinte substância:

IR3535 – duração de até 4 horas, aplicar uma vez ao dia

 

– Repelentes para crianças entre 2 e 7 anos de idade

Repelentes que contenham na sua fórmula uma das seguintes substâncias:

IR3535 – duração de até 4 horas, aplicar até duas vezes ao dia

Icaridina 20-25% – duração de 10 horas, aplicar até duas vezes ao dia

DEET infantil 6-9% – duração de 4-6 horas, aplicar até duas vezes ao dia

 

– Repelentes para crianças a partir de 7 anos de idade

Repelentes que contenham na sua fórmula uma das seguintes substâncias:

Icaridina 20- 25% – duração de 10 horas, aplicar até três vezes ao dia

DEET infantil 6-9% – duração de 4-6 horas, aplicar até três vezes ao dia

IR3535 – duração de até 4 horas, aplicar até três vezes ao dia

 

– Repelentes para adultos e gestantes

Repelentes que contenham na sua fórmula uma das seguintes substâncias:

Icaridina 20-25% – duração de 10 horas, aplicar até três vezes ao dia

DEET 10-15% – duração de 6-8 horas, aplicar até três vezes ao dia

IR3535 – duração de até 4 horas, aplicar até três vezes ao dia

 

IMPORTANTE

O repelente não deve ser aplicado sob as roupas. Aplique o produto somente nas áreas que ficarão expostas. Não aplique mais de três vezes ao dia. Pode causar intoxicação. Se for usar hidratante ou filtro solar, espere secar e aplique o repelente 15 minutos após o uso desses produtos. O repelente sempre é o último a ser aplicado.

Não aplique próximo das mucosas (olhos, nariz, boca). Lave as mãos após o uso. Não aplique nas mãos das crianças. Elas podem levar o produto à boca. Não durma com repelente. Tome um banho para remover o produto antes de dormir.

Estudos científicos mostram que a icaridina 20-25% fornece mais proteção contra o Aedes Aegypti do que o DEET 6-9%.

 

QUAIS OUTRAS MEDIDAS PODEM PREVENIR ESSAS DOENÇAS?

REPELENTES ELÉTRICOS (AQUELES QUE SÃO LIGADOS NA TOMADA)

Repelentes elétricos (que liberam inseticidas) são úteis para reduzir a entrada dos mosquitos. Coloque-os próximo de portas e janelas.

 

OUTRAS MEDIDAS: ROUPAS, APARELHOS, AR-CONDICIONADO E VENTILADORES

Não use hidratantes e cosméticos com perfumes. Eles atraem o mosquito.

Prefira roupas claras, manga longa e calça comprida. Evite roupas escuras (que atraem o mosquito) e muito coladas ao corpo, pois elas permitem a picada. Resfrie o ambiente: ar-condicionado e ventilador espantam o mosquito.

A literatura científica não respalda a eficácia de aparelhos que emitem luzes nem aparelhos ultrassônicos.

 

EVITE A PROLIFERAÇÃO E A PICADA DO MOSQUITO

O mosquito Aedes Aegypti prolifera-se em água parada. Portanto, evite o acúmulo de água em vasos de plantas, caixas d’água abertas, pneus, baldes e tanques. Coloque tampa em recipientes, areia nos vasos e pneus. Tampe sua caixa d’água.

Lembre-se: o mosquito ataca mais nas primeiras horas da manhã e no final da tarde: mantenha janelas e portas fechadas nesse período. Utilize mosquiteiros e telas nas janelas e portas. As telas impedem a entrada do Aedes em sua casa. Em berços e camas, podem-se instalar mosquiteiros. É permitida a aplicação de repelentes em spray sobre o mosquiteiro para aumentar sua eficácia.

 

DEPARTAMENTO DE DERMATOLOGIA PEDIÁTRICA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA (SBD) – 2015/2016

20
jan/16

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) vem a público fortalecer a nota da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e esclarecer a população que o preenchimento com ácido hialurônico é seguro, desde que realizado por médico capacitado e habilitado a executá-lo.

Infelizmente, no nosso país, a população tem sido vítima de complicações graves de procedimentos estéticos realizados por médicos não especialistas e, absurdamente, até por não médicos.

A SBD reforça a importância de a população certificar se o profissional escolhido para realizar um procedimento estético é médico, é especialista capacitado, membro de uma sociedade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB). Aproveitamos para esclarecer que medicina estética não é uma especialidade médica e não é reconhecida por esses órgãos, sendo exercida e divulgada de forma ilegal.

Ilegal também é o médico que se diz e divulga ser especialista, sem o devido RQE (Registro de Qualificação de Especialidade), obtido após o registro de o Título de Especialista pelo Conselho Regional de cada estado.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia é a única sociedade de dermatologistas reconhecida, tanto pela AMB quanto pelo CFM, e luta para que os órgãos responsáveis reconheçam a gravidade das consequências do exercício ilegal das profissões, com indivíduos que praticam atos que deveriam ser exclusivamente realizados por médicos e especialistas.

A Diretoria Executiva da SBD também aproveita para enviar as sinceras condolências à família enlutada pelo falecimento da paciente que motivou esta nota.

Rio de Janeiro, 13 de janeiro de 2016.

 

Diretoria Executiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

http://www.sbd.org.br/nota-de-esclarecimento-da-sociedade-brasileira-de-dermatologia/

16
out/15

Assista à entrevista da Dra Camila Otani , sobre MELASMA , ao programa Gente que Faz , da Tv Tarobá , exibido no dia 26/09/2015.

 

 

 

15
set/15

Catapora

cataporaO QUE É?

A catapora, ou varicela, é uma infecção causada pelo vírus varicela-zóster. A doença é altamente contagiosa, mas quase sempre sem gravidade. É uma das doenças mais comuns em crianças menores de 10 anos. É tão comum que mais de 90% dos adultos são imunes à varicela, pois já a contraíram em alguma época da vida.

Uma vez exposto à doença, a pessoa fica imune o resto da vida. Apesar disso, o vírus se instala de forma latente no organismo, em gânglios nervosos próximos à coluna vertebral. Se houver uma reativação deste vírus ele pode causar uma doença chamada Herpes zoster, que possui um quadro clínico geralmente típico, de vesículas agrupadas sobre base eritematosa, associada à sensação de dor, queimação e aumento da sensibilidade local.

As crianças costumam pegar catapora no inverno, isso porque a concentração das crianças em ambientes fechados aumenta. A transmissão da catapora dá-se pelo contato direto com saliva ou secreções respiratórias da pessoa infectada, ou pelo contato com o líquido do interior das vesículas. Após o contato, o período de incubação dura em média 15 dias. A recuperação completa ocorre de sete a dez dias depois do aparecimento dos sintomas.

SINTOMAS E DIAGNÓSTICO

Varicela em crianças é considerada uma doença sem muita gravidade, mas que pode tornar as crianças muito irritadas e cansadas por causa dos sintomas. Primeiro começa a febre, que pode chegar a 39,5o, mal-estar, falta de apetite, cansaço. Depois começam as manchas vermelhas que coçam muito.

Essas manchas se transformam em bolhas cheias de líquido, que depois de estourarem formam um “machucadinho”. Este vai formar uma casquinha e sarar. Normalmente o processo da doença demora entre uma e duas semanas.

Algumas crianças têm apenas poucas lesões de catapora, mas em outras, elas podem  disseminar todo o corpo. As lesões são mais numerosas no tronco, tendem a poupar extremidades e podem ter surgir em mucosas, como boca e área genital.

A principal complicação da catapora é a infecção secundária das lesões. Por esse motivo, deve-se evitar coçá–las e arrancar suas casquinhas. Cicatrizes altas, chamadas quelóides e deprimidas, atróficas, também podem ocorrer na involução da doença. O que determina essa complicação é a gravidade da doença e a predisposição do indivíduo em formar cicatrizes.

Adultos devem ter cuidado pois a doença pode ser mais grave do que em crianças, procure um médico assim que notar os primeiros sintomas. Um antiviral oral pode ser necessário. Além disso, mulheres grávidas, que ainda não tiveram catapora, devem se manter longe de pacientes com a doença. Se eventual exposição, procurar seu médico imediatamente – a varicela pode trazer complicações para o bebê.

Fique atento também aos recém-nascidos e a crianças e adultos com sistema imunitário enfraquecido.

TRATAMENTO

Não há tratamento específico para a catapora, mas existem remédios que podem aliviar os sintomas, como paracetamol e dipirona para aliviar a febre e loção de calamina e géis que refrescam e aliviam a coceira. Uso de anti sépticos, como sabonetes a base de triclosano e banhos com permanganato de potássio também são válidos

Além disso, hoje existe vacina contra Catapora. Elas são aplicadas em crianças e adultos que nunca tiveram a catapora em duas doses. Ao se vacinar, além de proteger a si mesmo contra as formas graves da varicela, protegerá outros em sua comunidade. Isto é especialmente importante para as pessoas que não podem se vacinar, como aqueles com sistemas imunológicos debilitados e mulheres grávidas.

Algumas pessoas que são vacinadas contra a varicela ainda podem ter a doença. No entanto, é geralmente mais suave com menos bolhas e pouca ou nenhuma febre.

PREVENÇÃO

A melhor forma de prevenir é evitando ao máximo o contato com pessoas que estejam com a doença. Há possibilidade de transmissão a partir do momento em que começam a surgir as primeiras manchas, e este permanece até a última bolha secar. Portanto, se você ainda não teve a doença, ou está no grupo de risco, evite o contato com os pacientes.

Crianças e adultos com catapora devem se manter o máximo possível longe do convívio coletivo até que todas as bolhas sequem. Isso quer dizer que crianças não devem ir à escola, e os adultos precisam se afastar do trabalho.

Fonte : Sociedade Brasileira de Dermatologia ( www.sbd.org.br

21
ago/15

O suor tem importante papel na regulação da temperatura corporal. É  normal suar depois de atividade física, quando exposto a altas temperaturas, ou mesmo em situações de estresse ou ansiedade.

A hiperidrose é condição em que a sudorese é excessiva, mesmo sem a presença de qualquer desses fatores.

Há 2 tipos de hiperidrose:

1) hiperidrose primária : com tendência genética, piora com estresse ou ansiedade, costuma ser focal ( atinge áreas limitadas do corpo),e melhora quando o paciente dorme. Pode iniciar já na infância.

2) hiperidrose secundária: causada por outras doenças , como diabetes, hipertireoidismo, obesidade , entre outras. Costuma acometer todo o corpo, e pode ocorre inclusive durante o sono. Geralmente se inicia na idade adulta.

 

Quando localizada , as áreas mais afetadas são palma das mãos, axilas, e planta dos pés;      hiperidrose

O diagnóstico é clínico.

Os tratamentos clínicos disponíveis incluem:

– antitranspirantes potentes

– medicamentos para diminuir o estímulo para produção de suor. São pouco usados devido efeitos colaterais como boca seca, tontura, e problemas na micção

– aplicação de Toxina Botulínica : consiste em injeções do produto na área afetada para bloquear temporariamente o estímulo para produção de suor. A duração de efeito é variável , de 4-6 meses. É pouco invasivo, pode ser feito em consultório médico, e não há necessidade de tempo de afastamento das atividades diárias.

– Simpatectomia torácica : procedimento cirúrgico que suspende  definitivamente o sinal para a produção excessiva de suor.  Principal efeito adverso é a Hiperidrose Rebote : suor excessivo em áreas em que isso não acontecia .

 

Cada caso deve ser avaliado individualmente para avaliar tratamento mais adequado.

03
jun/15

O Programa Encontro Saudável dessa semana  abordou o tema Vaidade, será que ela tem limite? Quem esteve no estúdio para falar sobre esse assunto foi a Dra. Camila Otani, dermatologista e a psicóloga Deise Rosa. O programa ainda traz os depoimentos do empresário contábil Cleber Caproni e da cartorária Beth Vilar sobre seus cuidados diários com a aparência. 

E pra você, vaidade tem limite?
Assista: https://www.youtube.com/watch?v=aKpt9ZTzSxw

 

11390258_953136681403845_6079308472850501824_n

 

Imagens : cedidas e editadas pelo Programa Encontro Saudável

27
mai/15

dermatite seborreica

Dermatite Seborréica é uma inflamação da pele , não contagiosa, caracterizada por períodos de descamação, vermelhidão, e irritação em algumas áreas da pele. Os locais mais comumente afetados são : cantos do nariz, sombrancelhas, couro cabeludo (caspa), pescoço, orelhas e atrás das orelhas; menos comumente em pálpebras ,tórax , e virilhas. É bastante comum , crônica , e intercala períodos de melhora e piora. Tem dois picos de incidência :antes do primeiro ano de vida , e após a puberdade.

 

dermatite seborreica nariz   DScabeca_2

A causa não é completamente compreendida, mas tem influência genética , e em alguns casos , o fungo Pityrosporum ovale  pode estar envolvido. As crises geralmente são desencadeadas ou pioradas com o estresse emocional e/ou físico, banhos quentes e demorados, ingestão de bebidas alcoólicas, tempo frio , e excesso de oleosidade na pele.

Em recém-nascidos , a Dermatite Seborréica , também conhecida como Crosta Láctea , é benigna, e temporária – costuma regredir antes dos 9 meses de idade. Crostas brancas ou amareladas surgem em couro cabeludo e face e pode haver descamação em orelhas , tronco , nádegas e dobras da pele.

O diagnóstico é essencialmente clínico , mas alguns exames, como biópsia, exame direto e cultura para fungos, podem ser necessários para confirmação dos casos mais atípicos .

O tratamento envolve produtos com enxofre, ácido salicílico , zinco, antifúngicos , entre outros ,para limpeza da pele e do couro cabeludo ; e cremes , spray ou pomadas com corticóides e /ou antifúngicos para serem aplicados nas lesões , indicados de acordo com a localização e intensidade.

Em bebês , o tratamento costuma envolver medidas mais “suaves” , como uso de óleos nas crostas , alguns minutos antes de lavar o couro cabeludo com shampoo, para ajudar a destacar as crostas.

 

Imagens: Dermatologia.net

Categorias

Copyright Dra Camila Otani - Todos os direitos reservados contato@camilaotani.com.br / Rua Minas Gerais, 2061 - Sala 201 - 2º Andar
(45) 3227-6803 / 9922-0990